domingo, 24 de abril de 2011

Crescendo Interiormente


Um dos fatos que demonstram e comprovam ao meu ver de que vivemos numa sociedade primitiva, é a forma com que nossa cultura ensina-nos a lidar com nossas emoções.

Crescemos e somos educados não como indivíduos dotados de um corpo emocional, não crescemos ouvindo falar a respeito de um universo interior, de uma vida interior, de paz interior, muito pelo contrário, todas as nossas emoções e alegrias são adestradas para voltarem-se sempre para o exterior.

Os adultos (onde lê-se adultos nesta postagem deve-se ler "crianças crescidas e imaturas"), ensinam as crianças desde pequenas a se alegrarem através de brinquedos, jogos, cores, texturas, doces, comidas, ou seja, sempre projetadas para o exterior.

Entretanto, na adolescência e vida adulta começamos a notar a existência de diversos fenômenos que ocorrem dentro de nós, em nossa psique, e na maioria das vezes o interior se faz presente nos momentos de sufoco em que ele grita e prova a sua existência, exigindo a nossa atenção, implorando que nos voltemos para dentro de nós mesmos.

E são justamente as pessoas mais sensíveis que irão se deparar com a existência de um amplo universo interior, carente de desenvolvimento, atenção, maturidade, simplesmente porque esta dimensão humana é na maioria das vezes ignorada por nossa cultura, que de tão superficial que é, associa completamente o bem estar do indivíduo as suas conquistas econômicas e não a sua paz e a sua realização interior.

Desta forma, grande parte dos indivíduos só começam a dar a devida atenção e se preocuparem com o seu universo interior, composto de suas emoções, de sua espiritualidade, somente após sofrer reveses devido a transtornos, dificuldades de adaptação a sociedade, intenso sofrimento, depressão, transtorno obsessivo compulsivo, transtorno bipolar, dificuldades em lidar com a sexualidade, solidão,  isolamento, neuroses, drogas, alcoolismo, etc.

A princípio, para muitas pessoas, voltar-se para dentro de si é uma necessidade urgente para alcançar a cura para os seus sofrimentos e paz para os seus conflitos, no entanto, muitas pessoas depois de darem início a jornada para dentro de si mesmo, não só são capazes de superar suas mazelas, mas também de descobrir uma fonte de alegria, leveza, desapego, paz e amor próprio e genuíno. Aquilo que a princípio era para curar a fonte do sofrimento, agora torna-se a fonte da verdadeira alegria.

O caminho da mudança, da reforma íntima, da cura dos relacionamentos, do autoconhecimento e da jornada interior é um caminho envolto de grandes desafios, de aventuras, de descobertas e de profunda alegria, há uma linha divisória na evolução e maturidade deste caminhar que separa a necessidade do sofrimento para o adquirir aprendizados, ou seja, há um instante em que aprender é por si mesmo algo tão maravilhoso, que não há mais necessidade de sofrimento e de quebrar a cabeça constantemente para se aprender com os erros, passamos a aprender com a alegria e com os acertos também!

Aprender a lidar com nossas emoções e voltar-se para dentro de si, são os princípios de uma evolução humana mais ampla, contribuindo assim para que os seres humanos saia da primitividade do desenvolvimento unilateral, primário e superficial e, contribui para a humanização da sociedade, é a partir desta evolução que nos tornaremos seres mais tolerantes, dotados de compaixão, voltados para a ajuda mútua e prontos para estender a mão para todos aqueles que necessitarem de ajuda a nossa volta.

É hora de começarmos a construir novas referência de vida adulta em nossa sociedade, novos referênciais que possam estabelecer uma cultura de paz e convergência, onde os seres possam aprender que cuidar um dos outros é cuidar-se de si mesmo e de todos os seus, o mundo precisa ser curado, e nós  precisamos nos curar e viver numa sociedade sadia e livre de tantos transtornos e de tanta violência.

E para isto estou aqui me dedicando a este blog, compartilhando alegrias, forças, experiências e esperanças para que possamos ajudar a curar o sofrimento coletivo, que é sentido por tudo e por todos neste planeta, curando a mim mesmo eu ajudo a curar o mundo e compartilhando com todos a minha volta, desta dádiva, juntos nos tornamos uma força capaz de transformar o mundo, para isto (como diria Gandhi), que possamos ser a mudança que desejamos para o mundo, hoje e sempre!

Venha comigo, para esta longa jornada de grandes mudanças e transformações, este é um caminho de alegria, de bem-aventurança de realização! Não sou um mestre, sou apenas seu irmão, sou aquele que começou a despertar e que está aqui para ajudar a acordar aqueles que estão em busca do grande despertar, traga seus instrumentos, traga sua dança, é hora de deixar os lamentos para trás e é hora de celebrar!

7 comentários:

maria helena lapenda disse...

lindo texto, e o mais IMPORTANTE: FÁCIL de ser compreendido !!!!
AMEI !!!!
Beijo grande
Maria Helena Lapenda

Anônimo disse...

Obrigado!

Alex Sandro disse...

Meu,tu descreveu um ser humano de mente aberta, que não tem medo de aprender com os erros, por mais decepcionante que seja errar no alge do seu sonho digamos, mas este individuo simplesmente acata este erro o transformando em força interior e sentindo que esta força vem de algo além desse plano.

Tom de Aquino disse...

Oi Alex... Muito bacana ver que você, já está se voltando, para suas questões internas mais profundas. Não há nada mais fascinante do que esta descoberta a respeito daquilo que somos. Porque naquilo que somos se encontra a chave que tanto buscamos ao lado de fora.... Abraços!

Alex Sandro disse...

Abraços!

Alex Sandro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alex Sandro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postar um comentário

Comente para compartilhar amorosamente aquilo que aqui amorosamente foi compartilhado!

Grato!

Seguidores