quarta-feira, 28 de setembro de 2011

"Não me envergonho em ser tal como uma criança"



Não me envergonho em ser tal como uma criança e não me importo com a aprovação ou reprovação daqueles que veem nessa atitude algo infantil, pois eu sou infantil.

Tal como uma criança eu não tenho futuro, não o planejo e se quer penso a respeito de algo que possa acontecer amanhã.

Tal como uma criança eu esqueço do ontem, não ando pela vida carregando o peso da memória inútil cheia de ressentimentos, medos, traumas e desconfianças, daquilo tudo que já não está presente no agora.

Tal como uma criança abraço todos aqueles que surgem em meu caminho e me entrego em espírito de profunda amizade e confiança.

E tal como uma criança eu nada possuo e não tenho ambição alguma.

Este é o momento que eu vivo hoje, não é uma imagem a qual me agarro, pois todas as imagens que eu fazia de mim mesmo foram destruídas por um furacão amoroso chamado Satsang!


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente para compartilhar amorosamente aquilo que aqui amorosamente foi compartilhado!

Grato!

Seguidores