domingo, 15 de novembro de 2009

A Verdade é Como o Oceano e Nós Somos Tais Como Peixes!




Todo aquele que busca a verdade não a encontrará enquanto buscá-la.
Buscar é o primeiro passo de todo aquele que a procura e, no entanto, será também a primeira ação abandonada quando a verdade se aproximar.
A verdade é inerente a realidade, a realidade é inerente a vida e a vida é inerente ao Ser.

Imagine um peixe no oceano buscando a água. É algo semelhante ao homem que busca a verdade, quando a verdade o rodeia por todos os lados, é a sua própria realidade e é a essência de sua própria vida.

Mas afinal, o que deu errado? - Alguma coisa tem que ter dado errado - Diz a mente assumidamente lógica - Para que possamos explicar este caos do mundo em que aparentemente existimos.
Pois é aí mesmo que se encontra a solução, este mundo caótico, insano, injusto, obscuro, onde todas as pessoas nascem condenadas a morrer sem ao menos saberem qual o crime cometeram, só existe na mente daquele que o vê. (Isto me faz recordar o personagem Joseph K do livro "O processo" de Franz Kafka).
A verdade para ser conhecida, experenciada e vivenciada, depende tão somente de abandonarmos o mundo substituto que criamos, deixando de lado apegos, julgamentos, preconceitos, crenças, aprendizados, condicionamentos e limitações.
O mundo real é Uno, não existem partes separadas ou mentes isoladas. Tudo é um continuum, não há passado ou presente, tempo ou mesmo espaço.
O mundo que criamos para substituí-lo é fragmentado, as mentes estão em contantes conflitos e parecem existir separadas e isoladas, cada vida é uma pequena vida, autônoma, limitada e existente no tempo, condenada a desaparecer num determinado espaço, desintegrando-se.
O mundo substituto é representando mediante símbolos, explicado através de números que são manipuláveis conforme interesses econômicos. O homem procura se afirmar forte escondendo-se por de trás de armas que o possa protegê-lo de outros homens, o que revela a sua enorme fragilidade. O mundo substituto é insano, caótico e doente.
Como eu disse anteriormente, para conhecermos a verdade precisamos tão somente abandonar o mundo substituto, abrir mão de ídolos que nós próprios criamos, esvaziarmos a mente de todo o passado, de todo condicionamento, de toda a lavagem cerebral que recebemos desde a mais tenra infância, abrirmos mão de nossos planos e ambições que apenas nos prendem ao mundo substituto, deixarmos de nos identificar com o auto-conceito forjado a custa das experiências individuais influenciadas pelo meio que nascemos, crescemos e vivemos.
Em resumo, para conhecer a verdade basta abrir mão da mentira, descobrir a mentira e colocá-la de lado.
A verdade virá até nós, ou melhor, já está em nós, dependerá portanto, somente daquilo que escolhermos enxergar, se a realidade ou o mundo criado para substituir a realidade.

Se sobre o altar interior decidirmos olhar tão somente para nossos ídolos não conheceremos a verdade mesmo que a verdade também esteja sobre o altar.



Deus só será uma resposta quando O encontrarmos dentro de nós mesmos e desta forma realizarmos o divino em nós, pois somente Deus é capaz de conhecer a Deus.



Precisamos de cura e purificação, antes de termos acesso ao verdadeiro conhecimento, que embora presente como as águas de oceano não pode ser percebido por aqueles cuja visão encontra-se contaminada por um mundo ilusório, particular, sombra de um conjunto de percepções nascidas da vontade contrária àquela que nos criou como um só.



Como eu escrevi no texto inaugural deste blog: Portanto a verdade não pode ser descrita ou explicada por intermédio de nossos signos, fórmulas, teorias, gráficos, geometrias e números, descobrimos a verdade sendo a verdade e ao nos depararmos com a realidade de quem somos realmente.
.
Três grandes frases ditas por homens e oráculos conscientes da realidade ilustram de maneira exata o que eu quero dizer aqui, são elas:
.
"Aprender é recordar-se"
(Platão)
.
"Conheça-te a ti mesmo"
(Oráculo de Delfos)
.
"Conheça a verdade e a verdade vós libertará"
(Atribuida a Jesus Cristo pelos Evangelistas)
.
Portanto, a verdade sendo como um oceano, precisamos nos recordar daquilo que nas profundezas ocultas de nosso Ser encontra-se guardado, aprender o que a realidade é, é recordar-se de algo que já soubemos com total clareza um dia.
.
Conhecer a si mesmo é o meio para conhecermos a essência, o que está dentro não é diferente daquilo que está fora, voltando-se para dentro de nós mesmos encontraremos a chave que tanto procuramos fora de nós, ao encontrar esta chave conheceremos a verdade e esta verdade nos libertará.
.
E se nós somos como peixes no oceano da verdade que distância há entre o homem e a verdade?
.
A mesma distância que há entre a verdade imutável que está presente no todo e a ilusão que se encontra enraizada em sua própria mente.
.
A mesma distância que há entre aquele que dorme e àquele que despertou.
.
A mesma diferença daquele que se encontra com os olhos fechados e àquele que abriu os olhos e vê um sol radiante despontando numa nova aurora e sabe que a escuridão da noite já se foi.
.
(revisto e ampliado em 12/07/2010)

Somente o Ser Supremo sabe quem eu sou

Somente Ele sabe com toda a integridade quem eu sou.

É na sagrada lembrança e recordação que brotará em minha mente a verdade.

Quero relembrar e tenho convicção que a verdade está presente aqui e agora em minha mente.

Onde está o problema está também a solução.

Cristo disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

E ele nos revelou que o reino dos céus está dentro de nós.

Portanto o caminho está em cada um, a verdade está em cada um, e como a vida sãos inerentes e presentes em todos nós.

Portanto, Eu Sou o caminho a verdade e a vida. Caminho este que é trilhado ao voltar-me para dentro de mim mesmo.

Não, eu não sou a soma de minhas experiências passadas, muito menos eu sou o molde mental e emocional das impressões marcadas em meu corpo através do prazer e da dor, não, eu não sou o acúmulo de coisas externas a minha volta, não sou aquilo que consumo, não sou um corpo preso ao tempo e ao espaço, produto de um resultado histórico e linear, condicionado a pensar num determinado idioma e soma de uma herença cultural.

Há algo muito além disso, muito além de toda e diminuta expressão advinda tão unicamente de uma percepção baseada nos parcos e limitados sentidos físicos, tenho um nome que não representa quem eu sou, meu trabalho, minhas atividades, minha residência, meus documentos são recortes fragmentados que se quer oferecem pistas sobre a minha verdadeira identidade.

Deus reserva para mim a sagrada lembrança de quem eu sou, ao conhecer-me eu conhecerei a Deus, ao conhecer a Deus conhecerei a mim mesmo, porque minha vida não é um fragmento isolado no universo, separada do grande todo, minha vida é vida de Deus, quem senão Ele é a origem de minhas forças, de minhas ações? Quem senão Ele é a fonte de onde eu me originei e permanecerei eternamente ligado?

Quero viver através de sua Graça o Pai, pois só existe uma forma de viver realmente, que é viver através da sua graça, na onipresença de seus cuidados, na luz de sua sabedoria onisciente, Vós Que És onipenetrante e que estás presente em todas as esferas do Ser.

Toda e qualquer limitação, todo e qualquer perigo, toda e qualquer ilusão, todo e qualquer ídolo não possui nenhuma força ou poder além daquele que a mente humana lhe confere, ou seja, não passa de uma mancha incólume sobre a janela da alma, que ao observar o mundo enxerga distorções e imperfeições.

Mas só há um um mundo, que é aquele que foi criado através da extensão do Amor do Criador. Somente este mundo é real, neste esfera eu sei quem eu sou, e através do perfeito alinhamento de minha mente com os astros brilhantes dos pensamentos divinais é onde encontrarei através Dele e de sua Graça a recordação de minha verdadeira identidade, a partir deste momento eu saberei quem sou eu.


Que assim seja!

Seguidores