sábado, 27 de novembro de 2010

O Grande Desafio de Escrever sobre Espiritualidade




Muito se escreve sobre espiritualidade, mas pouco do que se escreve é escrito por meio da consciência espiritual.

Este texto, por exemplo, é mais uma reflexão sobre a espiritualidade,  assim como os demais textos deste blog sobre espiritualidade, também podem ser chamados de reflexões.

O Espírito está muito além do que pode ser expresso, sua natureza divina e abstrata não pode ser reduzida a meros símbolos.

Ao falar sobre espiritualidade estamos estabelecendo um foco que tem por direção o caminho inverso ao dos sentidos, pois enquanto os sentidos estão direcionados para "fora" e são as origens de nossas percepções, a busca espiritual estará sempre direcionada para "dentro", que é onde reside o conhecimento do espírito.

A busca espiritual genuína é rara, porque a maioria de nós seres humanos, nos orientamos a partir do autoconceito estabelecido de que nós somos o resultado histórico de um processo linear, limitado aos sentidos e ao corpo, desta forma, todos os nossos objetivos estão ligados a necessidades físicas e não espirituais.

Por esta razão, a grande massa busca as religiões não para encontrarem a verdadeira natureza do espírito e através desta vivenciar um estado de paz e plena bem-aventurança através do autoconhecimento, mas a sua busca está quase sempre relacionada a sua idéia limitada do que é segurança e de que todos nós sabemos exatamente aquilo que necessitamos para vivermos em paz. (Casa, carro, bens materiais, um excelente negócio ou emprego, realização amorosa, família unida, saúde, etc).

Por este motivo, grande parte dos livros sobre espiritualidade, escritos com boa intenção no intuito de auxiliar-nos em nossas vidas diárias, na verdade, tratam sobre leis da mente e não leis espirituais, desta forma, não visam a descoberta do espírito, mas meios de melhor utilizar nossas mentes e nossas relações, para alcançarmos o "sucesso", tendo como parâmetro os mesmos valores estabelecidos pelo ponto de vista sócio-econômico de qualquer doutrina fundamentalmente materialista para determinar o que é o sucesso.

Por este motivo, vejo que é um grande desafio, escrever sobre espiritualidade e não há dúvidas de que poucas pessoas estão abertas e preparadas para vivenciarem a espiritualidade genuína em suas vidas.

Mas como tudo no plano da mente é um processo gradativo, mesmo a pseudo-espiritualidade é um estágio importante no amadurecimento do ser para a abertura de sua mente à genuína espiritualidade.

Manter a mente aberta é uma virtude.

Nas próximas postagens sobre espiritualidade, nosso foco será a desconstrução de algumas idéias espiritualistas amplamente aceitas, e que como veremos não são nada espirituais.

O intuito aqui não é desrespeitar crenças ou quem quer que seja (pessoa ou instituição), mas compartilhar reflexões, com àqueles cuja mente aberta se permitem ampliar horizontes através de um pensamento analítico, por meio do questionamento de todos os nossos valores, objetivando a expansão da consciência com relação a verdadeira natureza espiritual da vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente para compartilhar amorosamente aquilo que aqui amorosamente foi compartilhado!

Grato!

Seguidores